Eficiência energética para o setor produtivo do turismo

[Por CNC, 06/09/2013]
No segundo dia da 41ª Feira de Turismo das Américas, o Sistema CNC-Sesc-Senac e a Federação Nacional de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (FNHRBS) promoveram debate sobre eficiência energética em palestra na Vila do Saber. Na palestra realizada pelo consultor Ricardo Bezamat, em 5 de setembro na Vila do Saber, foi apresentado o programa de eficiência energética da Federação. O objetivo das entidades é incentivar práticas sustentáveis entre os empresários do setor hoteleiro e as demais empresas da cadeia produtiva do turismo.
Os gastos com energia elétrica representam grande parte das despesas de uma empresa. Para os meios de hospedagem, isso significa, em média, 15% dos custos, atrás apenas dos gastos com mão de obra, em torno de 20% a 25%. Segundo Bezamat, os projetos de eficiência energética podem reduzir em até 30% os custos do setor hoteleiro e de outras empresas com energia elétrica, água e gás.
A Federação quer ajudar o setor a combater o desperdício de energia elétrica, água e gás e a otimizar resultados financeiros. “A Federação trabalha pelo pleno desenvolvimento do setor hoteleiro. O programa de eficiência energética pretende nivelar os hotéis e pousadas do Brasil aos padrões de sustentabilidade praticados pela hospedagem na Europa e nos Estados Unidos. Estamos pensando, também, na grande demanda turística em função dos eventos internacionais que vamos sediar”, explica o presidente da FNHRBS e do Conselho de Turismo da CNC, Alexandre Sampaio.
A FNHRBS fez parceria com a Gás Natural Serviços, do Grupo Gás Natural Fenosa, para oferecer soluções de eficiência energética às empresas do segmento. O programa conta com a consultoria técnica em eficiência energética de Ricardo Bezamat. Entre outras medidas, o programa recomenda iluminação por LED, substituição de equipamentos, instalação de novas tecnologias e mudanças de procedimentos. As soluções sustentáveis propostas pelo programa também incluem análise das tarifas cobradas pelas concessionárias, aquecimento por energia solar, instalação de película de proteção solar, substituição dos sistemas de ar-condicionado e utilização de águas pluviais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *