O que os peregrinos da JMJ acharam do Brasil?

[Por Aquarela 2020, 01/08/2013]
A Embratur divulgou hoje (1º) dados preliminares da pesquisa de opinião realizada com os estrangeiros que estiveram no Rio de Janeiro para a realização da Jornada Mundial da Juventude. O levantamento comprova que foi massiva a presença de conterrâneos do papa Francisco: mais de 40% dos estrangeiros eram argentinos. Os países que mais enviaram turistas para a JMJ, depois da Argentina, foram Paraguai (9%), Chile (8%), Colômbia (7,6%), Peru (4%), México (3,6%) e Bolívia (3,2%). O maior emissor não-latino-americano é Espanha, com 1,7%, em 8º lugar. É seguida por EUA e Itália, com 1,5%.
Os itens mais bem avaliados pelos estrangeiros que estiveram no Rio de Janeiro foram a sinalização da cidade (79,4% de ótimo e bom) e aeroportos (76,5%), seguidos de segurança pública (73,2%). Já os serviços de telefonia e acesso à internet tiveram a pior avaliação: 30,6% de ruim ou péssimo. O item foi seguido por limpeza pública, com 13,3%.
Os serviços turísticos que receberam maior número de críticas foram o acesso a serviços de câmbio (30,1% de ruim e péssimo) e a oferta de menus em outros idiomas (29,3%). Em relação aos preços, a pior avaliação ficou com os serviços de telefonia e acesso à internet no Brasil: um em cada três turistas o considerou muito caro.
Oito em cada 10 turistas que vieram para a JMJ nunca haviam pisado no país antes. E elogiaram o que viram: 89% de “satisfeito” ou “muito satisfeito”. O que faz com que 90% dos turistas que vieram para a JMJ pretendam voltar ao país. “A pesquisa comprova que os megaeventos vão elevar o turismo internacional do país a um novo patamar”, avalia Flávio Dino, presidente da Embratur. “Com uma massa de novos turistas vindo ao país e tendo ótimas avaliações a respeito de nossos produtos turísticos, naturalmente aumentaremos nossa participação no mercado internacional, gerando maior entrada de divisas para a economia de milhares de cidades, que é o principal fator positivo da economia do turismo”.
Hábitos do viajante que veio à JMJ
Quatro em cada dez estrangeiros que vieram para a JMJ viajaram de ônibus, e 58% deles de avião. No entanto, mais de 85% dos estrangeiros que vieram ao país querem voltar de avião na próxima viagem. Um em cada três turistas estrangeiros ficou em escolas ou ginásios (32,2%). Outros 28% ficaram em casas de amigos ou familiares. E 23% ficaram em paróquias e igrejas. Apenas 8% ficaram em hotéis e 3,6% ficaram em albergues. O principal interesse desse turista era, além de participar da JMJ, conhecer igrejas (74%), monumentos (37%), museus (30%); praias (27%) e exposições (20%).
A maior parte dos estrangeiros que vieram para a JMJ era formada por homens (54%), com ensino superior (70%). Mais da metade dos turistas ficou de 7 a 13 dias no Brasil. Mais de 85% viajaram com amigos e 9% deles, com a família. Menos de 5% deles viajaram sozinho. Metade dos turistas organizou a viagem pela paróquia de sua cidade. Cerca de 22% comprou pacote completo junto a alguma agência de viagem.