Alagoas cria plano para levar o turismo para o interior

[Por MTur, 09/08/2013]
O estado de Alagoas foi o primeiro do país a apresentar um plano de turismo alinhado às novas diretrizes do programa de regionalização, que prevê identificação de regiões com vocação turística, investimentos em qualificação profissional, infraestrutura e gestão do turismo.
O objetivo do estado é levar o turismo para o interior do estado e valorizar regiões de quilombolas, antigos engenhos de cana de açúcar e centros históricos como Penedo, Marechal Deodoro e Piranhas, além dos 230 km de praia e do rio São Francisco, que corta 12 municípios.
O plano de turismo prevê, entre outras metas, o aumento de 20% no fluxo de turistas; acréscimo de 15% no tempo de permanência do visitante; aumento do gasto médio em 20% e elevação dos empreendimentos registrados no Cadastur (o cadastro dos prestadores de serviços turísticos) em 20%. As metas devem ser atingidas até 2016.Se as metas forem alcançadas, Alagoas deve passar do 16º destino mais procurado para a 7ª posição.
O estado recebeu 2,4 milhões de turistas em 2011, 60% deles na capital Maceió, o terceiro destino mais procurado pela terceira idade. “O desafio é diversificar, apoiar regiões turísticas de grande vocação ainda pouco conhecidas, para que criem forças alternativas para o turismo nos estados”, diz Vinícius Lummertz, secretário Nacional de Políticas de Turismo.
Interlocutor do Programa de Regionalização do estado de Alagoas, Renato Lobo afirma que é essencial investir em qualificação profissional, especialmente em um estado como Alagoas, que tem o pior índice de desenvolvimento humano (IDH) do país. Estudo de demanda turística do Ministério do Turismo de 2012 aponta que os principais emissores de turistas para Alagoas são o próprio estado (28%), Pernambuco (20%) e São Paulo (14%).
Para o coordenador de ordenamento turístico do Ministério do Turismo, Philippe Figueiredo, o alinhamento do Plano de Alagoas com as novas Diretrizes do Programa de Regionalização pode servir de exemplo para a elaboração de outros planos estaduais no País.