Sergipe terá centro de convenções ampliado

[Por MTur, 22/07/2013]
Sergipe receberá R$ 20 milhões para reformar e ampliar o Centro de Convenções Ministro José Hugo Castelo Branco, único do estado, em Aracaju. A obra faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) voltado para o turismo – e faz parte da primeira seleção de projetos escolhidos pelo governo federal para o PAC do Turismo.
Inaugurado no final da década de 1980, o Centro de Convenções de Aracaju tem capacidade para 1500 pessoas. A ideia do governo sergipano é duplicar a capacidade do local, além de realizar reformas e climatizar o espaço. De acordo com o secretário de Turismo de Sergipe, Élber Batalha, o estado tem uma grande demanda reprimida para sediar eventos e convenções. A obra deve aumentar a competitividade do estado.
O PAC do Turismo visa descentralizar o mercado de eventos, ainda fortemente concentrado no eixo Rio-São Paulo. “Um de nossos critérios de priorização do investimento é pela conclusão de obras ou aquelas que possam ser iniciadas de imediato”, diz o ministro do Turismo, Gastão Vieira.
O segmento um dos mais importantes e de maior vitalidade para a economia turística do país, e ocupa a primeira posição entre os que mais aumentaram seu faturamento em 2012: cresceu 23,3% em relação ao ano anterior, de acordo com a 9ª Pesquisa Anual de Conjuntura Econômica do Turismo (Pacet), realizada pela Fundação Getúlio Vargas.
Além disso, o segmento é o segundo maior fator de atração de visitantes estrangeiros para o Brasil: 25,6% dos turistas internacionais vêm ao país com essas finalidades, e seu gasto médio diário, US$ 127, é quase duas vezes maior que o desembolso dos turistas de lazer.
“A inclusão do turismo no PAC é um sinal de que o governo brasileiro reconhece a importância do setor para a economia do país e seu papel de blindagem contra crises internacionais”, afirma Gastão Vieira. De acordo com ele, a economia turística cresce acima do PIB nacional e grandes eventos esportivos, como a Copa das Confederações, a Copa do Mundo FIFA 2014 e a Olimpíada de 2016 já dão visibilidade e consolidam o país como um dos principais destinos turísticos do mundo.
Um dos critérios de distribuição das verbas é o índice de competitividade turística do município pleiteante, medido pelo Ministério do Turismo com base em 13 indicadores. Segundo Fábio Mota, secretário Nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, os contratos não são passíveis de aditivo – ou seja, os municípios contemplados precisarão concluir as obras com a verba liberada pelo PAC. O decreto 8.025, que institui o PAC do Turismo, foi publicado no Diário Oficial da União.
Um exemplo da necessidade de ampliação do Centro de Convenções Ministro José Hugo Castelo Branco é a realização, em novembro próximo, do Congresso Internacional de Anestesiologistas, que reunirá cinco mil profissionais na cidade. “Por conta da timidez do nosso espaço, utilizaremos centros de convenções de hotéis e também do sistema Sesi”, disse o secretário de Turismo de Sergipe, Élber Batalha.