R$ 6,7 milhões a menos pela falta de centro de convenções

[Por O Diário, 28/05/2013]
Levantamento realizado pelo Maringá e Região Convention & Visitors Bureau aponta que mais de R$ 6,7 milhões deixam de ser investidos na economia local, por ano, pela falta de um centro de convenções que possa receber congressos técnicos, workshops e seminários. Espaço é fundamental para fortalecer Maringá como destino de eventos de negócios.
Segundo presidente do Maringá e Região Convention & Visitors Bureau, Fernando Rezende, a previsão é que pelo menos 8 mil turistas, com permanência média de três dias, visitariam Maringá se a cidade contasse com um centro de convenções.
Rezende explica que os benefícios deste incremento na quantidade de visitantes se estenderiam para todos os setores da economia. “De forma direta ou indireta, negócios seriam gerados para hotéis, restaurantes, comércio varejista, taxistas, gráficas, empresas de comunicação, agências de viagem e de propaganda e cerca de outros 40 segmentos”.
Projeto
No início do ano foi a entregue para o prefeito Carlos Roberto Pupin (PP) um documento elaborado pelo Maringá e Região Convention & Visitors Bureau e pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de Maringá sobre a vocação e a realidade de Maringá para o turismo de eventos e sobre as oportunidades de negócios que são desperdiçadas pela ausência de um centro de convenções.
Na ocasião, Pupin se comprometeu a avaliar o levantamento e garantiu que é um dos objetivos de sua gestão viabilizar o espaço para eventos. “Irei avaliar com carinho todos os pontos observados neste levantamento e tudo aquilo que estiver ao alcance do poder público será feito”, disse.
Hotéis e malha aérea estão bons
O vice-presidente do Maringá e Região Convention & Visitors Bureau, Jonas Ramos, explica que além de um centro de convenções, outros dois aspectos são fundamentais para que uma cidade seja escolhida como destino turístico: dispor de acesso facilitado e de uma rede hoteleira eficiente.
“No quesito hotelaria estamos muito bem servidos. Temos opções de qualidade de diferentes categorias para todos os tipos de público”, analisa.
Da mesma forma, a malha aérea e rodoviária local também são avaliadas positivamente por Ramos. Enquanto o Aeroporto Regional de Maringá adquire constantes investimentos em infraestrutura e a cada ano recebe mais usuários – em 2012
Foram 760 mil passageiros contra 217 mil passageiros em 2008 – as rodovias fazem ligação com os principais centros do Brasil e com o Mercosul.
Definição
Um centro de convenções é definido pela Associação Brasileira de Centros de Convenções e Feiras (Abraccef) como um empreendimento ou estabelecimento empresarial (público ou privado) fixo, legalmente constituído e que ofereça espaços para eventos sob forma de locação ou cessão de maneira temporária.
O espaço deve dispor de salas, auditórios e locais de apoio para pelo menos 300 pessoas; espaço adequado para registro e circulação dos participantes; áreas de alimentação, exposição e atendimento médico; sistemas de comunicação, iluminação e acústica eficientes e atentos à sustentabilidade; acessibilidade; e capacidade elétrica com sistema de geração paralela; entre outros.
Segundo dados da Abraccef, de 2012, há no Brasil 73 centros de convenções regularizados que realizam anualmente cerca de 19.800 eventos, atraem um público de 28 milhões de pessoas e movimentam R$ 5 bilhões.