Como trabalhar o turismo durante a Copa no país do futebol

[Artigo de Luciana Leite, diretora de Turismo e Entretenimento da São Paulo Turismo (SPTuris), Diário do Turismo, 21/05/2013]
Nos últimos meses passei por diversas cidades do mundo juntamente a outras entidades de turismo do país com o objetivo de promover o Brasil e suas 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. O contato com agentes de viagens, operadores de turismo, empresários, especialistas e também com a imprensa internacional proporcionou uma compreensão ainda maior sobre quem é o turista potencial da Copa e o que ele espera encontrar no Brasil. E o que vi, só veio reforçar um conceito que já me ocorria há alguns anos: o turista não está interessado em acompanhar apenas mais um campeonato de futebol, ele quer viver intensamente a experiência de estar no Brasil, com toda a nossa cultura, incluindo aí a nossa fama de “país do futebol”.
Claro que ele também espera encontrar boa e qualificada oferta de hospedagem, nossos bons restaurantes e mão-de-obra capacitada, mas ele sabe que pode encontrar isso em outros países do mundo, inclusive naqueles que já receberam outras edições da Copa. O diferencial que fará com que esse turista opte por vir ao Brasil e, principalmente, que retorne às cidades-sede em outras oportunidades, são as sensações que ele vivenciar aqui. É a contemporânea idéia do turismo de experiências. Sairá na frente quem souber envolver o turista em uma experiência que integre cultura brasileira e o nosso jeito de ser ao esporte.
Empresas e profissionais precisam mostrar muito mais do que o arroz com feijão, ou seja, mais do que o futebol e mais do que a estrutura turística básica. A novidade é mostrar a festa, a criatividade e a paixão com que só nós sabemos viver a vida e no que esse esporte nos influencia. Para isso não faltam estádios repletos de histórias, um museu inovador e interativo dedicado exclusivamente ao assunto em São Paulo, centenas de bares e restaurantes em que o esporte ocupa local de destaque, onde é possível assistir partidas e discutir cada lance acompanhado de bons petiscos e uma imensa carta de cervejas. Nesses locais é possível mesclar futebol com uma boêmia tipicamente brasileira e o resultado é bastante singular.
Alguns já estão adotando essa estratégia. Já há bares e restaurantes e até hostels temáticos em São Paulo. Há também agências de turismo que oferecem serviços especializados para esse segmento. Mas ainda existe um grande espaço para se trabalhar nesse sentido.
Alguns materiais podem ajudar nessa tarefa. Para ter um exemplo de iniciativa focada no turismo de experiências, a São Paulo Turismo formatou há alguns anos o projeto Mapa das Sensações, disponível em www.mapadassensacoes.com.br, que mostra diversas formas de experimentar e sentir o que a capital paulista oferece de melhor, apresentando um descritivo das sensações que podem ser reveladas nos 20 principais pontos turísticos da cidade. Outro material interessante, dessa vez focado no esporte, é o roteiro temático sobre futebol pela capital paulistana, lançado recentemente pela mesma SPTuris, que está disponível em www.cidadedesaopaulo.com. Lá o interessado no tema poderá encontrar informações, história e curiosidade sobre museus, memoriais, monumentos, estádios, bares e cafés da cidade onde o jogo trazido ao Brasil por Charles Miller é destaque. Esses e outros materiais podem ser o pontapé inicial para idéias inovadoras e estratégias de sucesso, lembrando sempre que a nossa cultura e o nosso povo são a nossa maior jóia.