Embratur discute estratégias para Ecoturismo, Turismo de Aventura e LGBT

[BRASILTURIS JORNAL, 09/04/2013]
A Diretoria de Produtos e Destinos da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) realizou uma reunião com secretários estaduais e municipais de turismo para discutir e organizar a promoção do segmento de Ecoturismo e Turismo de Aventura e do segmento LGBT. Estiveram presentes os representantes dos destinos que têm produtos nesses segmentos e que estão no Plano Aquarela como prioridade.
“Queremos envolver os secretários para participarem ativamente do programa de apoio e comercialização desses destinos. Buscamos os estados para diagnosticar a demanda e a oferta”, afirmou o diretor de Produtos e Destinos da Embratur, Marco Lomanto.
“A partir de agora, as secretarias passam a integrar também o clube de produtos que anteriormente era composto apenas por entidades representativas do segmento”, informou Delma Andrade, coordenadora geral de Acompanhamentos e Estruturação de Produtos da Embratur.
Na reunião para discutir os segmentos de Ecoturismo e Turismo de Aventura estiveram presentes os representantes dos estados da Amazonas, Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo, além dos municípios de Foz de Iguaçu (PR), Brotas (SP) e Bonito (MS).
“A demanda por este tipo de turismo está crescendo bastante no Brasil e precisamos estar organizados, com uma estratégia definida para recebermos bem o turista”, acrescentou o diretor Marco Lomanto.
Em relação ao segmento LGBT, a Embratur está apoiando a candidatura de Recife para sediar a convenção anual da IGLTA (Associação Internacional de Turismo Gay e Lésbico) em 2016. A primeira reunião da associação no Hemisfério Sul aconteceu em 2012 em Florianópolis.
O mercado de turismo LGBT movimenta US$ 165 bilhões anualmente em todo o mundo. De acordo com Victor Toniolo, do Programa de Apoio à Comercialização da Embratur, o turismo gay representa 10% do turismo mundial, o que corresponde a 9,4 milhões de turistas. “É um mercado que está crescendo cerca de 20% ao ano e o Brasil vem se tornando referência”, comentou Toniolo.