Pagamentos de obras de infraestrutura turística ultrapassam R$ 18,5 milhões

[Por Mtur, 14/03/2013]
O Ministério do Turismo liberou R$ 18,5 milhões para obras de infraestrutura turística em diversos municípios e estados do país. O novo repasse abrange convênios realizados entre 2008 e 2012, após a atualização de medições – instrumento que comprova a execução da obra – pela Caixa Econômica Federal sobre os convênios firmados com a pasta.
Os investimentos representam a principal linha de atuação do ministério: fomentar o desenvolvimento das regiões turísticas brasileiras. Essa ação é realizada por meio da requalificação de atrações; construção e melhoria de vias e acessos nas cidades, para aumento da segurança e conforto do tráfego turístico; instalação de sinalização para orientação dos visitantes; e realização de projetos para impulsionar os diversos segmentos do turismo nacional: de eventos e negócios a religioso, histórico, de aventura, rural e ecológico.
Os R$ 18,5 milhões são destinados para 151 obras em 19 estados. Os municípios que recebem os montantes mais expressivos são Osasco, SP (R$ 962 mil); Santa Maria, RS (R$ 1,18 milhão); e Barra do Corda, MA (R$ 1,4 milhão).
Os valores liberados pelo MTur podem ser monitorados pela população por meio do Sistema de Acompanhamento dos Contratos de Repasse (Siacor), ferramenta que permite total transparência na gestão dos recursos da pasta. Por meio dele, qualquer cidadão poderá acompanhar o quantitativo liberado pelo ministério, o quanto a empreiteira contratada já recebeu, o percentual executado da obra e se houve ou não prestação de contas.
Esse resultado faz parte do esforço da pasta em manter a transparência quanto ao repasse de recurso público e a execução desses investimentos pelos respectivos municípios beneficiados.
“Conseguimos zerar no ano passado o pagamento de todas as obras concluídas e atualizamos o pagamento de todas as obras em andamento. O nosso objetivo é dar continuidade a essa gestão transparente e eficiente de controle interno e manter em dia as nossas obrigações”, afirmou o ministro Gastão Vieira.