Embratur muda estratégia comercial e reduz participação em feiras

[Por Mercado e Eventos, 15/01/2013]
Embora ainda não tenha fechado a estratégia da agenda comercial para esse ano, o que só deve acontecer na próxima semana, a Embratur já definiu algumas medidas relativas à promoção do país no exterior. Entre as decisões já acertadas, estão a redução na participação de grandes feiras de Turismo no exterior, a abertura de três novos EBTs e a escolha da Rússia como primeiro país entre os emergentes a contar com um trabalho de promoção gradual.
As novidades foram confirmadas por Marcelo Pedroso, diretor de mercados internacionais da Embratur. Segundo ele, as ações da Embratur começam já a partir deste mês, com a realização da Semana do Brasil na Espanha. “Teremos além da nossa participação na Fitur a participação em dois eventos, o Madri Fusion, um evento de gastronomia com chefs do Brasil, e o Goal to Brasil”, adiantou. Em relação às mudanças na estratégia comercial, confira abaixo as principais novidades a serem implementadas ao longo do ano:
Parceria – Depois do Ministério dos Esportes, a Embratur acertou uma parceria com o Ministério da Cultura para promoção da diversidade cultural do país junto aos mercados emissores. “Procuramos pautar nossa agenda valorizando aspectos da cultura brasileira. Fechamos uma parceria com o Ministério da Cultura onde a Marta Suplicy e a Jeanine Pires têm dado todo apoio, até porque têm uma consciência da importância deste tipo de promoção para o país. A gastronomia é apenas um dos temas. Esse ano teremos o Turismo Religioso e outros”, explicou.
Feiras – Dentro do programa de ajustes a Embratur deve reduzir a participação nas principais feiras internacionais de Turismo. O número final deve ficar próximo de 18. “Há uma quantidade muito grande de feiras internacionais. E mesmo levando em consideração que alguns deles são eventos tradicionais, a ideia é reduzir ainda mais essa participação, ficando entre 15 a, no máximo, 20. Já esse ano não participaremos da BIT de Milão. Nossa prioridade será em eventos que privilegiem geração de negócios”, assegurou.
EBTs – No caso dos EBTs, o resultado da licitação sai até o final do mês. Ainda assim há um prazo de 100 dias, aproximadamente, para que os mesmos abram suas portas. “Haverá mais um escritório na América do Sul, um terceiro nos Estados Unidos e também em Amsterdã, na Holanda”, confirmou.
Pesquisa – Preocupada com a escalada de preços da hotelaria, a Embratur divulga em fevereiro uma pesquisa comparativa de preços praticados no Brasil e no mercado internacional. A ideia é – com base nestes preços – dar início a um amplo debate. O mesmo deve acontecer em relação ao setor aéreo. “Não podemos perder a competitividade de mercado e certamente estes são serviços essenciais neste processo”, reconheceu.
Programa – Com o término do Goal to Brasil em junho, a Embratur dará início a um novo programa de promoção desta vez direcionado ao público final. “Vamos trabalhar não apenas os mercados emergentes como também realizar ações junto aos países classificados para a Copa do Mundo de 2014 que não estejam incluídos nesta relação”, adiantou.
Mercados – A América do Sul continua como prioridade, mas as ações vão ser reforçadas em três países: Colômbia, Venezuela e Peru. O orçamento para esse ano deve se manter na faixa de R$ 140 milhões e a Embratur pretende atingir a marca de 6,1 milhões de turistas estrangeiros.