Turismo tem as melhores receitas de negócios

[Por Revista Eventos, 08/10/2012]
O turismo influencia o desenvolvimento socioeconômico dos países. Além de gerar empregos, investimentos e renda, o setor é responsável por atrair milhares de pessoas. Essa interação promove a área e prevê políticas públicas e iniciativas das organizações privadas em favor do desenvolvimento sustentável.
Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), no mundo, o fluxo de turistas cresce consideravelmente, chegou a 935 milhões de viagens em 2010, um crescimento de 49% e já representa em termos de receitas aproximadamente 900 bilhões de dólares. A expectativa, de acordo com a OMT, é que o número de turistas alcance 1,6 bilhões de pessoas em 2020.
Uma pesquisa estadual feita pela Secretaria de Turismo de Minas Gerais revelou uma série de informações sobre os visitantes que decidem conhecer o estado. São 74 páginas recheadas de dados para estudiosos, empresários e especialistas interessados nesse mercado.
A maioria dos entrevistados organiza a viagem por conta própria. São pessoas de diversas idades, grande parte viajando de veículo próprio, ônibus e avião para chegar às cidades do interior. Quase 40% dos entrevistados vieram em busca de lazer e entretenimento e 21,7% para visitar amigos e parentes. Os destinos mais procurados são os circuitos do ouro, da canastra e das águas.
Em Minas Gerais, o Senac tem sido um dos grandes fomentadores da formação profissional para garantir que o turismo tenha mão de obra qualificada para atendimento e relacionamento com diversos públicos dentro dos mais diversos segmentos propostos pela área. Além da oferta de educação em vários níveis, o Serviço tem realizado encontros, seminários, palestras e mine-cursos para proporcionar oportunidades aos diversos públicos que atuam no setor.
Durante essa semana profissionais que atuam no turismo participaram de atividades desenvolvidas pelo Senac em Uberaba, em conjunto com o Sesc, com o objetivo de atualizar conhecimentos. “As áreas de atendimento aos clientes, artesanato e gastronomia foram fortalecidas. Os cursos de quitandas mineiras e culinária do cerrados atraíram especialistas que apostam nas maiores referências do turismo mineiro”, explica o diretor Luciano Pimenta.
Com a programação de eventos internacionais as iniciativas para o setor no Brasil acenam para um cenário positivo e progressista. Em 2010 o país registrou uma receita cambial turística próxima de seis bilhões de dólares. Para os especialistas em educação esse crescimento acontecerá a partir do interesse pelas regionalização, fortalecendo produções locais, gerando padrões de qualidade internacional. Artesanato, gastronomia e processos de excelência motivados por pessoas é um caminho natural para a valorização e a expansão do segmento.