Sebrae prepara ação para promover negócios sociais

[Por Sebrae, 15/10/2012]
Problemas sociais são resolvidos com ações exclusivamente governamentais, certo? Errado. Para muita gente, as carências humanas provocadas pela exclusão, pelo despreparo técnico, pela baixa escolaridade ou outras causas também representam uma porta aberta para o empreendedorismo. São empresários que investem em soluções destinadas a mitigar os problemas, mas com geração de lucro – o que se convencionou chamar de negócios sociais.
O tema estará em debate no 5º Fórum Mundial de Negócios Sociais, (SEWF, sigla em inglês para Social Enterprises World Forum), que ocorrerá no Centro Cultural Ação Cidadania, no Rio de Janeiro, de terça (16) a quinta-feira (18).
O Sebrae é um dos parceiros do evento neste ano, com o apoio à participação de empreendimentos de sucesso em funcionamento nas comunidades cariocas. A instituição também será responsável pela Sala de Negócios Sociais e promoverá palestras sobre o potencial do mercado social e as oportunidades geradas pelos grandes eventos esportivos previstos para os próximos anos – como a Copa do Mundo FIFA 2014 e as Olimpíadas de 2016.
Pela primeira vez o evento ocorre na América Latina. As edições anteriores do SEWF foram realizadas na Europa (Escócia), Oceania (Austrália), América do Norte (Estados Unidos) e África (África do Sul). No evento deste ano, são esperados líderes de mais de 30 países, entre delegados e palestrantes.
O analista do Sebrae, Krishna Aum de Faria, explica que o evento ajudará a instituição a consolidar um projeto de apoio aos negócios de natureza social, que deverá ser incorporado às ações já desenvolvidas em 2013. “Vamos conhecer as melhores experiências que subsidiarão a construção de uma metodologia e uma estratégia específica de atuação do Sebrae”, explica Krishna. Durante o evento, a instituição apresentará um protocolo de intenções sobre o tema.
Carla Teixeira, analista do Sebrae no Rio de Janeiro, diz que a ideia é observar os melhores modelos praticados no mundo e definir um conceito para esse tipo de investimento no Brasil. “Em alguns países, os negócios sociais são aqueles em que o lucro só pode remunerar o próprio investimento. Aqui, vamos definir os tipos de negócios, os produtos, o que são e como fomentar o setor”, diz Carla.
Qualidade de vida
As empresas sociais são aquelas que vendem um produto ou prestam serviços que contribuem para a melhoria da qualidade de vida das pessoas de baixa renda. No entanto, elas se diferenciam de organizações não-governamentais (ONG), por exemplo, por visarem o lucro e atuarem de acordo com os conceitos de mercado para oferecer soluções aos problemas sociais.
Estas empresas geram impactos sociais por proporcionarem às classes menos favorecidas acesso aos serviços de saúde, habitação e educação com qualidade superior e custos baixos. A inclusão ocorre também pela contratação de força de trabalho ou compra de produtos e serviços de pequenos negócios
Segundo a organização do Fórum Mundial, o local onde será realizado o evento foi escolhido por ser um negócio social. O Centro Cultural Ação da Cidadania é administrado pela Ação da Cidadania, organização que trabalha para superar a fome e a pobreza. O prédio foi construído em 1871 para armazenar produtos no Porto do Rio e foi reformado em 2002.