O turismo brasileiro perdeu sua grande guerreira: Anna Maria Marcondes Machado

Titular de um dos primeiros escritórios de organização de eventos de São Paulo, fundou e foi a primeira presidente da ABEOC Brasil – Associação Brasileira de Empresas de Eventos, no período 1977/79; tendo participado da fundação do São Paulo Convention & Visitors Bureau, do qual foi a primeira diretora executiva (1983/85).
[Por Sergio Junqueira Arantes, Portal Eventos, 14/10/2012]
Faleceu na Beneficência Portuguesa uma das pioneiras do turismo nacional. Titular de um dos primeiros escritórios de organização de eventos de São Paulo, fundou e foi a primeira presidente da ABEOC Brasil Associação Brasileira de Empresas de Eventos, no período 1977/79; tendo participado da fundação do São Paulo Convention & Visitors Bureau, do qual foi a primeira diretora executiva (1983/85).
Nos anos 90, Caio Luis de Carvalho, buscou sua experiência para a implantação do Plano Nacional de Municipalização do Turismo, programa que liderou por uma década, sendo lembrada por Caio Carvalho, sob o impacto de sua perda, como a “guerrilha que sempre foi durante toda a sua vida, Anna Maria foi um exemplo, foi parceira, foi ideal, foi competência, foi pioneira, foi especial em tudo fez. Deixa amigos, fãs, seguidores de suas convicções por todo Brasil”.
Caio Carvalho diz ainda, “devo muito a ela durante minha passagem por Brasília. Foi comigo em 1992 e na Capital Federal trabalhou sempre com seriedade e levantando bandeiras. Uma brasileira a quem os brasileiros devem muito”.
Seu perfil intransigente e sempre correto pode ser observado em entrevista de 2004, na qual dizia referindo-se às praticas na gestão no PNMT, “Não, era quase proibido perguntar de qual partido era. Funcionava assim: o prefeito vinha e dizia, – ‘eu sou do PT, PMDB’, e eu dizia – ‘sim, a mim não me interessa o seu partido, porque eu não vou contar qual é o meu, e o desenvolvimento do turismo não passa por partido político. Nenhum turista vai chegar ao seu município e perguntar qual é o seu partido? O desenvolvimento, a saúde e a educação não passam por partidos políticos. O que nós estamos fazendo é uma politica de desenvolvimento’. E eu terminava dizendo: – “as ações que vamos fazer em seu município não passam por gerência política”.
Essa era Anna Maria Marcondes Machado. Viveu os últimos 20 anos em Brasília, mantendo sempre a cabeça erguida, sem nunca entregar os pontos, principalmente sem jamais transigir em seus princípios.
Nessa hora de despedida, faço minhas as palavras de seu grande amigo, Caio Luis de Carvalho, “pena que nesses últimos anos não tivemos o privilégio de conviver contigo. Essa a mágoa e, que lá no céu me perdoe. Que descanse em paz e não faça muitos projetos por lá. Descanse. Saudades!!”.