FBHA propõe inclusão de restaurantes no Plano Brasil Maior

[Por FBHA, 03/10/2012]
Após a inserção da hotelaria, o setor de alimentação nacional promete ser o próximo contemplado pelo Plano Brasil Maior, política econômica, industrial, tecnológica e de comércio exterior do governo Dilma Rousseff. A inclusão dos bares, restaurantes e similares no Plano foi uma demanda levada pela Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), através de seu presidente, Alexandre Sampaio, à ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi, Hoffman, durante cerimônia de comemoração do Dia Mundial do Turismo, no Palácio do Planalto.
A FBHA propõe que os estabelecimentos cadastrados em lucro real ou presumido paguem um percentual de 1% sobre o faturamento da casa, ao invés de 20% de contribuição previdenciária patronal sobre a folha salarial. “A sugestão foi muito bem recebida pela ministra, que tem reconhecido o peso do turismo e da alimentação na economia nacional. A desoneração é fundamental para que o setor continue crescendo e se fortalecendo”, comemorou Alexandre Sampaio.
Junto com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), Associação Nacional de Restaurantes (ANR), o Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes (SindRio) e a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), a FBHA defende que a desoneração para o setor de alimentação fora do lar vai promover a formalização, o aumento da arrecadação tributária, a empregabilidade, a qualificação e o incremento na remuneração dos trabalhadores.
“Nosso segmento tem papel fundamental não só como um dos maiores empregadores em nível nacional, mas também como serviço essencial no receptivo turístico. A gastronomia precisa estar preparada para, nos próximos anos, com o Brasil em evidência e a realização dos mega eventos esportivos, receber com qualidade e eficiência”, concluiu o presidente da FBHA.