Brasileiros observam britânicos pensando na organização da Olimpíada

[Por Portal 2014, 08/08/2012]
Cem profissionais brasileiros, vinculados ao governo federal, acompanham os detalhes dos Jogos 2012
Um grupo de cem profissionais brasileiros, vinculados ao governo federal, acompanha de perto os detalhes da organização dos Jogos Olímpicos de Londres. Os brasileiros analisam os sistemas de segurança, transportes e apoio aos turistas, entre outros aspectos. A ideia é aprender com os britânicos para adquirir experiência para as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.
O ministro adjunto das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Browne, disse à Empresa Brasil de Comunicação (EBC) que, em novembro, especialistas britânicos irão ao Brasil para a troca de experiências. “Temos trabalhado muito de perto com o governo brasileiro em termos de segurança, problemas de transportes, apoio aos turistas e aos profissionais”, disse, lembrando que a parceria é essencial para que os Jogos Olímpicos sejam bem-sucedidos.
Durante os Jogos Olímpicos de Londres, a troca de informações entre brasileiros e britânicos teve parte prática. Alguns gestores brasileiros acompanham colegas britânicos durante todo o dia, observando como são solucionados os problemas que surgem ao longo do evento.
O superintendente de Cultura, Comunicação e Eventos da Autoridade Pública Olímpica do Brasil, Cid Blanco, disse que a observação tem permitido aos brasileiros conhecer os bastidores dos Jogos. “Eles [os britânicos] abrem as portas dos seus escritórios, das suas instalações, dos seus aeroportos para que a gente possa entender como a operação está acontecendo. A ideia é a gente entender o que está por trás, os bastidores dos Jogos Olímpicos, como funciona a operação [toda].”
Para o presidente da Autoridade Pública Olímpica do Brasil, Márcio Fortes, a troca de experiência ajudará o Brasil a cumprir todas as exigências do Comitê Olímpico Internacional (COI). “[Há um alerta que] os Jogos não devem interferir na vida da população, mas ao mesmo tempo deve melhorar a qualidade de vida na cidade e fazer isso tudo funcionar depende muito do governo.”
De acordo com o ministro britânico, a complexidade para a organizar uma Olimpíada está no fato de envolver atletas de todas as partes do mundo, como também especialistas de várias áreas e a necessidade de se montar uma estrutura para recepcionar os estrangeiros. Demonstrando satisfação com os resultados dos trabalhos, Browne ressaltou que os Jogos entram na fase final das competições.
A quatro dias do fim dos Jogos Olímpicos, a capital britânica e as autoridades do Reino Unido comemoram a superação das ameaças à segurança e os problemas com transporte público.