Turismo Sustentável será tema do Festival de Turismo do Paraná

[Por Mercado e Eventos, 24/07/2012]
O turismo sustentável tem sido um grande desafio para as cidades que dependem da atividade turística para movimentar a economia local. Esse é um conceito considerado novo e que precisa de um planejamento detalhado para viabilizar ações e metas a serem implementadas. É esse tema que será abordado na segunda edição do Festival de Turismo do Litoral do Paraná, que será realizado entre os dias 16 e 19 de agosto, em Paranaguá.
Segundo Carlos Gnata, coordenador do evento, a ideia é incentivar o turismo no litoral e debater ações que possam viabilizar essa prática, mas de maneira responsável. “O turismo sustentável se baseia em três principais pilares: o crescimento econômico da região, a integridade social e o equilíbrio ecológico. Desta forma, a atividade se torna uma prática economicamente viável a todos e sem degradar o meio ambiente”, explica.
Para Gnata a concepção induz a um processo de mudança, no qual a exploração de recursos materiais, os investimentos financeiros e as rotas de desenvolvimento tecnológico são elaborados de maneira harmoniosa. “O debate de sustentabilidade do turismo também inclui a importância de utilizar indicadores de desempenho que monitoram a valorização econômica, ambiental e socioambiental”, esclarece.
Outro ponto que deve ser levado em consideração é que o turismo sustentável não pode ser tratado como um produto mas, sim, como um conceito que irá integrar as demais atividades. “O planejamento só terá valor quando considerado como uma base essencial de produtos de turismo de qualidade, que poder ser ecoturismo, turismo de aventura ou cultural”, avalia o coordenador.
De acordo com Gnata o termo ainda gera confusão e muitos acreditam que significa desenvolver o ecoturismo. “A diferença é que o ecoturismo é umas das maneiras de explorar o turismo sustentável, mas muitas vezes não é isso que acontece na prática. Para isso é preciso manter a infraestrutura do lugar, reduzindo os impactos que seriam causados ao meio ambiente, incluindo investimentos em práticas e tecnologias que permitam isso. É nesse ponto que entra a exploração sustentável da atividade”, finaliza.