Como o futuro do turismo no Brasil será moldado por 2014 e 2016? foi tema de palestra do Seminário de Turismo e Negócios

[Por Revista Hotéis, 09/04/2012]
Na última e quarta palestra do Seminário de Turismo e Negócios, que aconteceu na Fecomércio-SP, na capital paulista, foi abordado o tema Legado – Como o futuro do turismo no Brasil será moldado por 2014 e 2016, devido a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. O evento foi uma iniciativa da FBHA – Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação e teve a Revista Hotéis como mídia parceira.
Participaram da palestra como debatedores Cassio Santos dos Reis, Consultor de Turismo do Sebrae-SP e da Dra. Mariana Aldrigui, professora do bacharelado em Turismo e Lazer da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, como moderador Toni Sando, Diretor Superintendente do SPCVB – São Paulo Convention e Visitors Bureau, e do palestrante Geoff Buckley, Diretor da KPMG e ex-diretor do Tourism Australia.
Durante a palestra os debatedores discutiram sobre os principais legados que os megaeventos esportivos deixam ao País sede em infraestrutura e promoção turística, o que isso impacta de benefícios economicamente e socialmente no pós-evento. Para Buckley o Brasil é um país privilegiado, pois terá sua exposição na mídia mundial duas vezes numa diferença de dois anos, e esta é uma grande oportunidade de estimular o crescimento do turismo e atrair grandes eventos corporativos. “Estes eventos são importantes para mudar a imagem “clichê” que o país tem em outros lugares. No caso da Austrália muitos estrangeiros achavam que tínhamos cangurus e coalas andam pelas ruas, mas mostramos o contrario que tínhamos uma alta tecnologia e qualidade e estilo de vida excelentes. Esta é uma grande oportunidade do Brasil tirar alguns destes clichês, como somente terra do samba e das caipirinhas’, destaca Buckley.
Segundo Buckley uma das estratégias que o Brasil pode explorar como potencial para alavancar o turismo e a economia é alinhar as estratégias de marketing e negócios com a dos patrocinadores e focar o que isto vai trazer de “business” e eventos internacionais para aumentar a circulação de turistas domésticos e estrangeiros. “Com estas estratégias podemos motivar mais gastos e conseguir uma maior permanência destes turistas no Brasil, com a visitação de novos lugares pós eventos. O primordial entre todas as estratégias é manter este marketing pós eventos focando a qualidade e estilo de vida do País e seus outros pontos turísticos”, finaliza Buckley.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *