CNC participa da abertura da 10ª edição do Fórum Panrotas

[Por CNC, 13/03/2012]
Empresários, autoridades governamentais e agentes do turismo tiveram a oportunidade de assistir, na abertura da 10ª edição do Fórum Panrotas, realizada nesta terça feira, 13 de março, no Centro de Eventos da Fecomercio, em São Paulo, a um vídeo institucional do Sistema CNC-SESC-SENAC, que destacou as iniciativas da entidade para o desenvolvimento do setor.
Entre as informações, os participantes puderam conhecer as atividades do Conselho de Turismo da CNC, bem como os objetivos da revista Turismo em Pauta, atualmente em sua sétima edição. Estão previstas também as exibições, ao longo do evento, de mais quatro vídeos institucionais (dois do SESC e dois do Senac), mostrando a atuação decisiva destas duas entidades, com ênfase no desenvolvimento do turismo social e na educação profissional que busca garantir a qualidade dos profissionais do setor.
Alexandre Sampaio, presidente do Conselho de Turismo e coordenador da Câmara Empresarial de Turismo (CET) da Confederação, esteve na abertura, acompanhado do diretor do Senac, Antônio Henrique de Paula, de membros da Assessoria de Turismo e Hospitalidade (Astur) da entidade e do deputado fluminense Otávio Leite (PSDB-RJ). “A CNC acredita que a difusão e a troca de ideias são essenciais para o desenvolvimento do turismo brasileiro”, afirmou Sampaio.
A abertura oficial do evento contou, pela primeira vez, com ministros de destinos turísticos da América Latina, que apresentaram planos e projetos de cada país para o desenvolvimento da atividade. Enrique Meyer, ministro de Turismo da Argentina, destacou, entre outras informações, que a infraestrutura do país está em fase de renovação para atender à demanda cada vez maior de visitantes. Segundo ele, aeroportos como o de Bariloche devem passar por melhorias e 95% da população argentina está interligada por vias terrestres, o que também beneficia o turismo.
Além disso, Meyer destacou que a companhia Aerolineas Argentinas está renovando suas frotas. Entre 2010 e 2011, a Argentina recebeu cinco milhões de visitantes, sendo que 1,3 milhão foram brasileiros. “A América Latina cresceu 10% em desembarques de turistas entre 2010 e o ano passado. E 5,7 milhões de turistas desembarcaram na Argentina”, disse o ministro. “O Brasil é um destino prioritário da Argentina”, complementou Meyer.
Pablo Nogueira, ministro do turismo do Chile, lançou um desafio na abertura do Fórum Panrotas: o desenvolvimento de ações e estratégias comuns aos países da América Latina para o desenvolvimento da atividade turística em cadeia. Entre outras medidas, Nogueira sugeriu a eliminação da burocracia dos governos para aumentar o trânsito de turistas entre os países. “Uma promoção conjunta do turismo traria benefícios a todas as nações latino-americanas. Somos países complementares” disse Nogueira.
A ministra de Turismo do México, Gloria Guevara, apresentou a estrutura dos órgãos do governo mexicano ligados ao turismo, destacando que o país é o 10º destino turístico do mundo, e a atividade representa 9% do PIB do país, gerando 2,5 milhões de empregos diretos e 5 milhões indiretos. Em 2012, segundo Gloria, 22,4 milhões de turistas internacionais visitaram o México, mesmo com a situação volátil da economia mundial. Segundo a ministra, entre 2007 e 2012 foram aplicados USS 6,77 bilhões em aeroportos, portos e ferrovias. A iniciativa privada, por sua vez, investiu USS 18,30 bi na atividade turística. “Em 2011, recebemos visitantes de 221 nacionalidades, e 66,8% deste numero eram de brasileiros”, destacou a ministra.
Brasil
O ministro do Turismo brasileiro, Gastão Vieira, começou sua participação na abertura do Fórum Panrotas destacando que o turista é o principal cliente do Ministério que comanda há cinco meses. “Todos aqueles que estão envolvidos com o turismo trabalham com a felicidade das pessoas”, declarou. Gastão destacou ainda os números de 2011, quando houve 186 milhões de viagens pelo País, além de nove milhões de desembarques internacionais. No ano, o segmento – que responde por 3,6% do PIB brasileiro – gerou receita cambial de USS 6,7 milhões, valor 14,4% maior que o de 2010. Gastão Vieira enfatizou que a classe C ganha cada vez mais importância para o turismo. “Viajar pelo Brasil está no plano de uma em cada três famílias brasileiras”, disse.
Sob o viés da economia, Gastão Vieira destacou que o desafio é aumentar a competitividade do setor, revertendo o crescente fluxo de turistas brasileiros ao exterior, ao lado de um incremento da chegada de visitantes estrangeiros.
Ainda hoje, o chefe da Divisão Econômica da CNC, Carlos Thadeu de Freitas, participa de uma mesa redonda que vai abordar as perspectivas economias para o Brasil. O Fórum Panrotas vai até amanhã, dia 14, com debates e apresentações de especialistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *