BHG comunica resultados do quarto trimestre e do ano de 2011

[Por Portal Eventos, 16/03/2012]
EBITDA Hoteleiro atinge R$ 58,2 milhões no ano, com margem expressiva de 33,0%, com EBITDA Consolidado de R$ 41,9 milhões, quase quatro vezes maior ao de 2010. No ano, o RevPar apresentou crescimento de 23,0% em relação ao período anterior.
A BHG S.A. – Brazil Hospitality Group divulga os resultados das atividades do quarto trimestre e de 2011. A Receita Operacional Líquida (ROL) atingiu R$ 176,6 milhões em 2011, com um crescimento de 45,0% em relação a 2010. No 4T11, a ROL atingiu R$ 53,8 milhões, com um crescimento de 46,6% sobre o 4T10. Este aumento expressivo é resultado do crescimento da Companhia e de investimentos em melhorias estruturais nos hotéis, além da adoção de uma política comercial agressiva com foco no cliente corporativo.
O EBITDA Hoteleiro atingiu R$ 58,2 milhões em 2011, representando um crescimento de 76,7% em relação ao resultado de 2010. No 4T11, O EBITDA Hoteleiro atingiu R$ 18,8 milhões, 74,5% superior ao resultado do 4T10. Se considerarmos a base Same Store Sales,[i] o EBITDA Hoteleiro atingiu R$ 14,1 milhões no 4T11, um crescimento de 23,5% ano contra ano.
A margem EBITDA Hoteleiro em 2011 atingiu 33,0%, valor 5,9 p.ps superior ao resultado obtido em 2010. Se considerarmos apenas os hotéis operados há mais de um ano (Same Store Sales), temos uma margem EBITDA Hoteleiro de 33,3% no 4T11.
O EBITDA Consolidado da BHG atingiu R$ 41,9 milhões, valor quase quatro vezes maior do que o resultado de 2010, de R$ 10,7 milhões. No trimestre, o EBITDA Consolidado atingiu R$ 16,7 milhões, um aumento de 196,1% em relação ao 4T10.
A margem EBITDA da Companhia atingiu 23,7% em 2011. Durante 2011, a Companhia obteve seu primeiro lucro líquido operacional desde sua criação, no total de R$ 9,6 milhões, ante os prejuízos de R$ 6,2 milhões de 2010, graças ao (I) ganho de escala da operação hoteleira, que gerou diluição, associado ao controle de custos fixos e despesas gerais e administrativas; (II) crescimento da receita líquida; e (III) ganho na receita não operacional, através da venda do terreno na região da Avenida Faria Lima, em São Paulo. Excluindo este ganho não operacional, o Lucro Líquido da Companhia atingiu R$ 2,6 milhões no ano, melhoria significante em cima de 2010.
A BHG atingiu um RevPar de R$ 153,8 em 2011, valor 23,0% superior ao de 2010, de R$ 125,0, impulsionados pelo aumento da diária média em 18,2% e pelo incremento na ocupação média em 2,7 p.ps. (66,9% no ano). Se utilizarmos a métrica Same Store Sales, o crescimento do RevPar foi de 31,3% no período.
Durante 2011, seguimos nosso planejamento corporativo de adicionar ao menos 1.500 quartos por ano, via aquisições e administração de hotéis de terceiros. Além da aquisição e início de operação do atual Royal Tulip Rio de Janeiro, a BHG assinou (I) um contrato para aquisição de 1.010 quartos, distribuídos entre cinco hotéis em Belém, no Pará; (II) assinatura de contrato de administração do futuro Golden Tulip Belo Horizonte (MG); (III) assinatura de contrato de administração do Address West Side, primeiro empreendimento da rede em Goiás. Em janeiro 2012, finalizamos a aquisição da operadora Grupo Solare, que administra oito hotéis situados no Maranhão, adicionando um total de 1.100 quartos ao portfólio, que serão incorporados a BHG em abril.
Em relação aos projetos greenfield, a BHG comunicou, ao longo de 2011, assinatura de novos memorandos de entendimento para a construção de seis novos hotéis, distribuídos em Angra dos Reis (RJ), Sobral (CE), Belo Horizonte (MG), Maringá (PR) e Palmas (TO). Somados aos projetos de Itaguaí (RJ) e Campos dos Goytacazes (RJ), anunciados em 2010, há um total de 1.300 novos quartos em desenvolvimento. Além destes, em março de 2012, assinamos memorando de entendimento para o desenvolvimento de um hotel de 140 quartos em Campo Grande (MS), e estimamos a conclusão da construção para o final de 2013. Simultaneamente, a Companhia prosseguiu com a Política de Desinvestimento do landbank – considerados ativos non-core – para reforçar os investimentos em hotéis com foco em turismo de negócios.
Em maio de 2011, a Companhia reforçou o caixa com a operação aprovada pelo Conselho de Administração da BHG, que aprovou um aumento de capital de aproximadamente R$ 85 milhões através da emissão de 4.594.594 ações ordinárias. No início de 2012, a Companhia iniciou o Programa de ADR Nível I, sob o ticker BZHGY, possibilitando a negociação das ações no mercado de balcão (OTC) em Nova York, Estados Unidos. O programa foi idealizado como ferramenta para otimizar a entrada de novos investidores, além de aumentar a visibilidade das ações da empresa.
A BHG, com a incorporação da Solare a partir de abril de 2012, administrará 45 hotéis, 21 próprios e 24 de terceiros, com um total de 8.300 apartamentos. A Companhia encerrou o ano com R$ 44,6 milhões em caixa e dívida de R$ 244,2 milhões, com uma dívida líquida de R$ 199,6 milhões.
Em 2012, a rede prosseguirá com a mesma estratégia de crescimento, de forma sustentável e robusta, por meio da aquisição, administração e desenvolvimento de hotéis.
BHG S.A. – Brazil Hospitality Group é uma das principais empresas de hotelaria do país, com hotéis próprios e administrados divididos nas categorias 3, 4 e 5 estrelas. A companhia é a responsável pela marca Golden Tulip na América do Sul.
A BHG é uma companhia de capital aberto, com ações negociadas no Novo Mercado da BM&FBovespa com o ticker BHGR3 e com Programa de ADR Nível I para negociação de ações em mercado de balcão (OTC) em Nova Iorque, nos Estados Unidos com o ticker BZHGY.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *