Sudeco pode investir em capacitação para o Distrito Federal

[Por Hôtelier News, 24/02/2012]
A Setur-DF (Secretaria de Turismo do Distrito Federal) ganhou mais um aliado para tratar da capacitação dos profissionais que atuarão nos grandes eventos previstos para a cidade até 2016. Em reunião, na última semana, Marcelo Dourado, diretor-superintendente da Sudeco (Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste), manifestou interesse e apresentou planos para investir no setor.
Ele explicou que a Sudeco pretende colaborar com a capacitação nas áreas de hospedagem, gastronomia e turismo receptivo. Segundo o superintendente, as mulheres, classificadas como os “esteios das famílias” no Centro-Oeste, terão atenção especial.
O secretário de Turismo do Distrito Federal, Luis Otávio Neves, ressaltou a necessidade de investimento também na classe empresarial, sobretudo aqueles que irão abrir empresas em virtude dos eventos que acontecerão no futuro próximo. Para Neves, a capacitação prévia ajuda a direcionar a administração no sentido de dar continuidade dos negócios mesmo depois dos jogos. “Nós temos que evitar que essas empresas desapareçam depois da Copa do Mundo”, alertou o secretário.
Uma das opções para o desenvolvimento do setor é o FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). Para 2012, o fundo conta com R$ 226 milhões para investimento em turismo no Distrito Federal. Para garantir o acesso ao montante total dos recursos disponíveis este ano, a Setur e a Sudeco irão organizar uma oficina direcionada aos empresários com foco na criação e elaboração de projetos.
A iniciativa irá complementar as ações de esclarecimento sobre o tema, já iniciadas no ano passado. Em 2011, foram realizadas duas palestras com o mesmo foco, em parceria também com o Banco do Brasil e o Sebrae-DF (Serviço Brasileiro de Apoio Às Micro e Pequenas Empresas).
O FCO é administrado pelo Ministério da Integração Nacional. O objetivo é oferecer financiamento a baixo custo para os investidores dos setores produtivos do Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Entre as atividades beneficiadas estão agroindustrial, agropecuário, mineral, turístico, comercial, serviços e outros.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *