Maior participação do Brasil na Normalização Internacional é fundamental para o crescimento dos negócios turísticos

[Por ABNT, 06/02/2012]
Maior participação do Brasil na Normalização Internacional e a conquista de parcerias com entidades que auxiliem na disseminação das normas técnicas estão nos planos do gestor do Comitê Brasileiro de Turismo (ABNT/CB-54), Alexandre Sampaio, para 2012. Ele acredita que os trabalhos do Comitê Técnico de Turismo da International Organization for Standardization (ISO/TC 228) são fundamentais para o crescimento dos negócios turísticos no país.
“A atuação democrática e plural do ISO/TC 228, com inúmeros participantes, permite uma difusão do que melhor se faz ao redor do mundo, além de ajudar na difusão das melhores práticas”, elogia Sampaio, acrescentando que o Brasil tem se destacado em vários grupos de trabalho, sendo referência no turismo de aventura. “Normas aqui concebidas foram adotadas pela ISO”, ele destaca.
O gestor avalia que a partir da exposição midiática crescente do Brasil, depois de conquistar o direito de sediar a Olimpíada de 2016, foi potencializada a importância do país no cenário turístico mundial, além de gerar uma conscientização, na sociedade e área governamental, da importância de termos em turismo organizado e normalizado. “Com isto orientamos consumidores e atraímos investimentos, desenvolvendo um setor fundamental para nossa economia”, afirma. “Acho possível trazer outras reuniões, pois o interesse pela nossa nação é crescente, despertando curiosidade pelo que faremos aqui em relação do desenvolvimento turístico como potencial econômico”.
O Ministério do Turismo, como ressalta Sampaio, demonstra grande preocupação em relação às normas técnicas. “O Governo sabe que a normalização é o melhor caminho para a formalização do setor, segurança ao consumidor, orientação ao investidor e segurança jurídica do operador. Na medida em que o MTur sinaliza desta maneira, outros programas correlatos tendem a se viabilizar mais facilmente, como o Cadastur, o Sistema de Cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor do turismo.
Mas ainda há desafios a serem enfrentados, sendo os principais, de acordo com Sampaio, de caráter cultural, como a disseminação da importância da normalização no meio empresarial, a adoção das normas como referência legal e a fiscalização das atividades turísticas informais.
“O ABNT/CB-54 irá contar este ano com o apoio da CNC e das Federações do Comércio estaduais na disseminação de normas, buscando a adesão dos setores organizados e procurando despertar interesse em participar de grupos de discussão e de trabalho, para obtenção de um consenso representativo e eficiente na elaboração de propostas brasileiras, para discussão internacional”, anuncia Sampaio.
Este esforço, prevê o gestor, deverá resultar na sustentabilidade dos meios de hospedagem somada a ações de preservação do meio ambiente, possibilitando um turismo consciente e sustentável que beneficiará toda a sociedade.
O ABNT/CB -54, ele acredita, terá um papel de destaque nas discussões sobre a qualificação do produto turístico, a preservação do meio ambiente para exploração turística nacional e sobre a capacitação de pessoas para o desenvolvimento do setor no Brasil.
“Estaremos presentes, em 2012, em todos os locais possíveis, para fazer a difusão de idéias sobre normalização, esperando aumentar exponencialmente a participação de interessados nos vários grupos de trabalho”, avisa Alexandre Sampaio. Ele alerta que as entidades patronais ou laborais ligadas ao setor, assim como organizações não governamentais (ONG) e autoridades que têm relação com o turismo devem participar do ABNT/CB-54. “Elas são fundamentais para uma discussão com mais qualidade e precisão, visando à obtenção do melhor para o setor”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *