Inventário do DF é tema de reunião do Observatório do Turismo

[Por Hôtelier News, 23/02/2012]
A parceria entre a Setur-DF (Secretaria de Turismo do Distrito Federal) e a UnB (Universidade de Brasília), que resultou na criação do Observatório do Turismo de Brasília, já tem o primeiro foco. A partir da segunda quinzena de março, os profissionais responsáveis pelo Observatório começarão as primeiras ações para a formulação do inventário turístico do Distrito Federal. Os detalhes do trabalho foram tema da primeira reunião oficial do grupo envolvido, que ocorreu na última semana, na sede da Secretaria.
O inventário é um levantamento de todos os pontos que possuem potencial para atrair turistas para o Distrito Federal. Por meio dele, é possível ter a noção do estado de conservação, qualidade e quantidade de produtos e serviços oferecidos, formas de acesso, segmentos, bem como aspectos econômicos, geomorfológicos e outros itens gerais.
Para iniciar a pesquisa, a equipe gestora definiu os modelos de formulário que serão usados e o tipo de dados que serão analisados.
“Baseamos-nos na metodologia do Inventur, do Ministério do Turismo, e a adequamos para as reais necessidades da Setur-DF”, explicou Ariádne Bittencourt, subsecretária de Políticas de Turismo da Setur-DF.
O Inventur é uma espécie de banco de dados com as informações de cada Estado do País relativas à oferta turística. O sistema aponta algumas sugestões de como coletar e copilar os índices. O levantamento feito pelo Observatório do Turismo também auxiliará para manter atualizado o espaço reservado para o DF.
“Existem características que só Brasília têm, e vamos usar a nosso favor. Para isso, decidimos priorizar, neste momento, as Regiões Administrativas com maior movimentação de visitantes e concentração de pontos turísticos”, explica Ariádne.
A previsão é que os questionários sejam aplicados em todo local onde há alguma espécie de atividade turística do DF. A etapa de coleta de dados deve durar em torno de quatro meses.
Esta é uma das ferramentas de planejamento do turismo para os próximos anos. Até o final do ano ainda serão realizadas outras pesquisas de demanda, indicadores do setor, estudos de qualificação profissional, levantamento de dados econômicos, oportunidades de negócios, identificação do perfil do turista da Capital Federal e outras ações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *