CVC aposta em nichos de eventos no Brasil

[Por Panoramabrasil, 08/02/2012]
A brasileira CVC, maior operadora de turismo da América Latina, adotou como estratégia de crescimento até 2016 a segmentação de seus pacotes de viagens, tanto no Brasil como no exterior. A empresa, que atualmente transporta 4 milhões de passageiros por ano, vai apostar na oferta de viagens de curta duração para cidades médias e afastadas dos grandes centros do País, dada demanda crescente e o aumento do número de voos disponíveis por aéreas parceiras como Avianca, Trip, Azul e Webjet. No exterior, apesar da crise que assola os principais mercados do mundo, a empresa vai se utilizar do holofote criado pela realização dos megaeventos Copa das Confederações (2013), Copa do Mundo (2014) e Jogos Olímpicos (2016), e criar pacotes exclusivos para estas atrações.
“O mercado regional tem crescido bastante, sobretudo em municípios menores, como Campinas, Ribeirão Preto e Chapecó, no sul. O aumento da capilaridadde nos novos aeroportos com opções de voos e lojas de passagens vai servir de ensaio para a demanda dos eventos de 2014 e 2016”, conta Fernando da Rocha Campos, o presidente da CVC. Para Evaristo Mascarenhas, diretor de Marketing e Vendas da companhia aérea Trip, estão avançadas as conversas entre as empresas parceiras para a criação de voos fretados de pacotes esportivos. “Percebemos que tanto a nossa empresa quanto a operadora de turismo compartilham do mesmo plano estratégico”, diz. Mascarenhas comenta, mesmo sem entrar em detalhes, a capacidade de crescimento entre serviços prestados em conjunto.
“É um dado estratégico, nossa receita não depende dos pacotes da CVC, mas posso dizer que a possibilidade de ampliação da parceria é muito grande no médio prazo”, diz.
Guilherme Paulus, fundador da empresa e presidente de seu conselho administrativo, afirma que sem a participação das aéreas na estratégia da empresa será impossível manter a posição que a CVC ocupa hoje no mercado. “Trabalho com parceiros desde o início das operações no Brasil. Evidente que a presença deles nas tomadas de decisão da empresa é fundamental”, disse.
Até julho de 2011, a operadora alcançou presença em 26 estados do País, além do Distrito Federal , por meio de 678 lojas próprias. No Estado de São Paulo, a expectativa para o período da Copa do Mundo é de movimentação de R$ 10 bilhões em diversas áreas, sobretudo o turismo. A CVC não divulga faturamento, mas analistas do setor estimam que seja de R$ 3 bilhões por ano.
“Também estamos em negociação avançada com os times de futebol no País. Queremos formatar pacotes especiais para o campeonato brasileiro”, completou o executivo. Godinho disse que o modelo adotado será semelhante ao utilizado por empresas europeias, com oferta de traslado, hospedagem e ingressos.
Além da oferta de pacotes em outros municípios, a operadora vai investir na criação de pacotes para eventos de entretenimento. Ontem, a CVC anunciou que será a operadora exclusiva para o festival de música Rock In Rio deste ano e da edição de 2013.
A aérea Avianca é uma das empresas parceiras da CVC no transporte de passageiros e, por conta de sua extensão para novos hubs, transportou 70% passageiros a mais em janeiro deste ano do que no mesmo período de 2011.
“Como a questão do acesso aéreo para o desenvolvimento do turismo, a participação da Avianca tem papel-chave nos desafios do setor, cuja demanda será aquecida”, afirma o vice-presidente-comercial e de Marketing da Avianca, Tarcísio Gargioni.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *