Pesquisa aponta demanda de capacitação do Turismo no RJ

[Por Mercado e Eventos, 22/10/2011]
Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam) diagnosticou as carências e potências demandas de capacitação para profissionais de turismo do estado do Rio de Janeiro. Os resultados da pesquisa com mais de 750 profissionais dos segmentos de hospedagem, alimentação, eventos, artesanato, transporte, além de agentes de viagem e guias de turismo, foram apresentados durante o Salão Estadual de Turismo, pelo superintendente de Desenvolvimento Econômico e Social do Ibam, Alexandre Albuquerque Santos.
Segundo ele, uma das principais carências do estado é a falta de agências de viagem e empresas de receptivo fora da região metropolitana do Rio de Janeiro. “Fala-se muito sobre o potencial econômico do Turismo e em como o país explora pouco este segmento, no entanto é preciso fazê-lo de forma adequada e correta. Por isso, este estudo procurou verificar as demandas de qualificação e fazer um panorama atual de cada segmento profissional nos subpolos turísticos do estado”, destacou.
Em relação à região das Agulhas Negras, o estudo apontou a necessidade de integração entre as atividades de turismo de lazer e de negócios e revelou que o fluxo de turistas na região deve aumentar devido a investimentos em infraestrutura e pela proximidade com os estados de minas Gerais e São Paulo. O Vale do Café foi diagnosticado como uma região com potencial para explorar o turismo histórico, mas que precisa estruturar melhor seu trade para progredir nesse sentido.
Já a Serra Verde Imperial precisaria desenvolver seus municípios, descentralizando a atividade turística de Teresópolis, Petrópolis e Friburgo, para se desenvolver mais. A Costa Verde também possui grande capacidade em ampliar o fluxo de turistas devido à realização de grandes eventos como a Flip e o Festival de Cinema de Paraty, que atraem tanto turistas nacionais quanto internacionais. Já a Costa do Sol, caracterizada pelo turismo de Sol e Mar, tem potencial para atrair mais turistas caso trabalhe seus atrativos rurais e de ecoturismo, contribuindo para impulsionar o setor para fora dos municípios de Arraial do Cabo, Búzios e Cabo Frio.
A região Metropolitana, por ter todos os segmentos turísticos e trade bem consolidados é a única que apresenta baixo aumento de fluxo de turistas, porém Santos destaca a necessidade de impulsionar o setor em outras cidades. “É preciso integrar a capital com cidades como Niterói e outros municípios próximos”, afirmou.
O resultado desta pesquisa serviu como base para a criação de um programa de capacitação profissional, envolvendo os segmentos profissionais consultados durante as entrevistas. “estruturamos um programa que irá oferecer cursos nas áreas de Gestão e Empreendedorismo e Aperfeiçoamento e Capacitação. Nosso objetivo é melhorar em 20% a qualificação dos profissionais envolvidos com o Turismo.
O programa, quando iniciado, tem previsão de implementação de cinco anos. Serão oferecidos 128 cursos na área de Gestão e Empreendedorismo nas regiões turísticas analisadas, que devem beneficiar 3,2 mil profissionais, e mais 247 cursos de aperfeiçoamento, que devem atender mais de seis mil participantes, e 72 cursos profissionalizantes, com 1,8 mil vagas.
O início do programa depende de aprovação do edital pelo Governo do Estado e deve ser financiado em parte com recursos do BID.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *