Recife investirá R$ 1,2 milhão para impulsionar turismo de eventos

[Por Carina Bacelar,Mercado e Eventos, 18/08/2011]
Todo evento, por maior que seja, passa por uma fase obrigatória: a escolha da sede. É justamente nessa etapa que se concentra a ação Seja um Anfitrião, promovida há quatro anos pelo Recife Convention & Visitors Bureau (CVB) em parceria com as Secretaria de Turismo de Recife e Pernambuco. A edição deste ano, nesta quinta-feira (18/08), na Arcádia do Paço Alfândega, reuniu cerca de 400 possíveis organizadores de convenções: médicos, acadêmicos, empresários e agentes de viagem e representantes do seror hoteleiro. Segundo o presidente do Recife CVB, Paulo Menezes, o Seja um Anfitrião 2011 será o ponto de partida para o investimento de R$ 1,2 milhão na captação de eventos para Recife. Grande parte dessa quantia destina-se à produção de brindes personalizados, “mais caros”, segundo a diretora executiva do CVB Tatiana Menezes.
“O grande foco nesse ano foi juntar todo o grupo e adicionar hotéis, agentes de viagens e organizadores de eventos, que até então não participavam da vernissage. Antes, fazíamos três edições separadas em um mesmo ano: uma para médicos, uma para empresários e outra para acadêmicos”, conta o presidente da entidade.
Se o Seja um Anfitrião tem seu foco na cidade de Recife, o governo estuda ações de fomento a grandes eventos de turismo de negócios também no interior do estado. De acordo com Marconi Muzzio, secretário executivo da Secretaria de Turismo de Pernambuco, está em fase de estudos um programa que englobaria a construção de um centro de convenções em Serra Talhada firmar uma parceria com a prefeitura de Petrolina para que a gestão do centro de conferências do município fosse gerido pelo estado ou em parceria com o mesmo. “Na medida do possível, a gente quer descentralizar”, resume.
A expectativa das autoridades de turismo, de acordo com Carlos Braga, assessor executivo da Secretaria de Turismo do Recife, é captar, até 2014, 102 novos eventos do tipo. Em 2010, foram 96 ao todo. Graças a eles, 200 mil turistas de negócios passaram pela capital pernambucana e movimentaram R$ 380 milhões na economia local. “No Seja um Anfitrião de 2010 foram preenchidas 76 fichas entre empresários, acadêmicos e representantes de classe, potenciais organizadores de convenções e conferências. Delas, 19 viraram em eventos de fato”, ressalta Tatiana Menezes.
Com a Copa de 2014, que terá Recife como uma de suas sedes, as metas tornam-se mais ambiciosas. “Principalmente após a competição, com o legado que ela vai deixar para a cidade, pensamos em atrair convenções internacionais”, projeta Carlos Braga, enfatizando que Recife hoje ocupa a 6ª posição do ranking do International Congress and Convention Association (ICCA). Para o Presidente do CVB, Paulo Menezes, a própria Copa do Mundo, e não sua repercussão ou legado, é um potência quando o assunto é turismo de negócios. “Na África do Sul, 22% dos turistas foram de incentivo (receberam o pacote como bonificação por serem empregados ou fornecedores de alguma empresa). Esse tipo de viagem gera muito dinheiro”, diz.
No Seja um Anfitrião, as entidades de turismo de Recife e de Pernambuco dividiram espaço com atrações culturais e gastronômicas, em uma tentativa de reforçar o slogan da cidade de “capital multicultural do Brasil”. No bufê, iguarias como carne de sol e escondidinho eram estratégias para conquistar os anfitriões em potencial pelo paladar. Números de Forró, Maracatu, Baião, Reizada e Frevo também contagiaram os presentes, que terminaram a noite dançando em uma grande ciranda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *