Blatter prefere que Rio de Janeiro seja sede da abertura da Copa

[Por Copa2014, 29/08/2011]
O presidente da Fifa, Joseph Blatter, expressou sua preferência para que o Rio de Janeiro realize a partida de abertura da Copa do Mundo de 2014 e não São Paulo, como pretende a organização.
“Há definitivamente uma competição entre Rio e São Paulo para obter a abertura. Mas já demos o centro de mídia para o Rio e a sede da organização da Fifa será no Rio. Portanto, a cidade mais adequada para receber a abertura é mesmo o Rio de Janeiro. O futebol brasileiro é o Rio. E para o mundo, o Rio é a cidade mais atraente para abrir uma Copa, sem dúvida”, declarou Blatter em entrevista ao jornal “Estado de S. Paulo”.
Quando o Brasil foi escolhido para sediar a Copa de 2014 foi determinado que a abertura seria em São Paulo e a final no Rio de Janeiro.
O frustrado projeto para a adequação do estádio Morumbi, escolhido inicialmente pelos organizadores para a abertura do Mundial, e a posterior demora para consolidar a construção de um novo estádio, neste caso o Itaquerão, provocou um descontentamento na Fifa.
Esse atraso fez com que São Paulo ficasse fora da Copa das Confederações, que o Brasil organizará em 2013.
Outras cidades que serão sedes do Mundial, como Brasília e Belo Horizonte, cujas obras nos estádios estão bem adiantadas, foram cogitadas para receber a partida de abertura.
“O principal obstáculo para a organização da Copa no Brasil tem sido as brigas políticas entre prefeitos, governadores e governo federal. Isso pode de fato atrapalhar muita coisa. O Brasil sediará uma ótima Copa. Mas tem de resolver essa briga política”, declarou o presidente da Fifa.
Blatter também disse que a relação entre a CBF e o Governo brasileiro era “mais fácil” com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva do que atualmente com a presidente Dilma Rousseff.
No entanto, o dirigente suíço descartou o temor de um “caos” na organização da Copa, mas alertou sobre o problema na infraestrutura dos aeroportos, situação para a qual a Fifa delegou um assessor especial para colaborar com o Governo nesse campo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *